Qualquer coisa de poesia

Eu sei o que você pensava quando me flagrava te olhando ao longe naquele outono. Não pensava errado, mas nem totalmente certo. Eu tinha ali qualquer coisa de admiração, qualquer coisa de afeto, qualquer coisa de desejo – de ser alguém na sua vida.

Meia década depois, eis-me aqui. Eis-nos. Não sei que caminho é esse que tomamos, mas quero continuar por ele. Quero ir contigo.

A vida fica obviamente mais doce quando dividimos uma dose de açúcar. Não é poesia, é química.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s